A GALINHA DE OVOS DE BARRO

Num quilombo, uma das galinhas, punha ovos de barro. Os moradores a olhavam com desprezo, porque não se podia comer aquilo, e pensava-se em fazer dela um bom caldo. Mas, antes que isso acontecesse, ao se queimar uma coivara, a galinha fugiu, e os ovos se queimaram, e se tornaram em cerâmicas. No chão escuro de carvão da queimada, destacou-se o vermelho dos ovos de cerâmica. O plantador, quando viu aquilo, se impressionou, e foi correndo mostrar a todos aqueles ovoides. Entusiasmados com a beleza das peças, resolveram queimar todos os ovos da galinha e vendê-los na feira. A curiosidade atraiu os compradores, e a galinha se tornou uma fonte de renda considerável no arraial.

Mas a galinha morreu, e eles tentaram produzir os ovos, pra não perderem o negócio. Contudo, não conseguiam atingir a mesma qualidade da forma, além de que não seriam mais produtos da galinha. Discutiram sobre o que fazer, e viram que não conseguiriam enganar compradores por muito tempo. E, ao pensarem em porque não conseguiriam fazer um ovo tão perfeito como a galinha, perceberam o segredo de que o que sai de dentro do artesão é sempre belo. E assim se propuseram trabalhar. O trabalho se desenvolveu muito com isso e, além do barro, acharam outros materiais, sempre procurando tirar beleza de seus interiores nas peças que faziam. Isso fez com que se tornassem excelentes artesãos, e o mercado de artesanato no arraial se tornou muito famoso e apreciado.

barrolo.com

O MUNDO BARROLÓ
A GALINHA DE OVOS DE BARRO
ARTESANATO NÃO TEM RELÓGIO
A VASSOURA QUE VARRE
O SERTÃO COR DE ROSA
O MUTUM CONTRA A USINA